PROGRAMA DO ROCHINHA

De Segunda a Sexta, das 6h às 7h, na FM MAIOR DE BATURITÉ 93,3. E-mail: programadorochinha@gmail.com - Fone: (85) 3347-1177 WhatsApp: (85) 9 9156-2117

FM MAIOR 93,3

  • Notícias

    segunda-feira, 12 de agosto de 2019

    'Homem grávido' dará à Luz em setembro, no interior de São Paulo

    O casal Taris de Souza e Frank Teixeira terão uma menina, Antonella, em setembro deste ano. A diferença deste casal para tantos outros no Brasil é que na relação há um “homem grávido” que dará à luz. O casal vive em Itapira, interior de São Paulo.


    De acordo com a publicação, Taris tentou diversas inseminações caseiras sem sucesso. Porém, Frank, um homem trans, engravidou na primeira tentativa. Ao todo, a professora de ensino infantil tentou gerar o bebê 11 vezes. “Chegamos a repetir o processo quatro vezes em um mês para ‘encurralar’ os óvulos de todas as formas, mas não dava certo e isso começou a me desgastar emocionalmente. Me sentia inútil, então desisti”, disse ao UOL.

    A primeira tentativa, que Taris narrou à reportagem como “incômoda”, foi feita com a ajuda de um ginecologista. Depois disso, ela e Frank optaram por fazer o processo em casa. De acordo com a publicação, o doador ia à residência do casal e depositava o material em potes similares aos utilizados em exames.

    Com a ajuda de uma seringa, Frank depositava o material na mulher. Após o sofrimento e as tentativas mal sucedidas, ele decidiu gerar a criança, testando a inseminação em si mesmo. Para isso, deixou de tomar as ampolas de testosterona por seis meses e fez o procedimento após voltar a menstruar normalmente. 

    Após a amamentação, Frank garantiu que voltará a tomar os hormônios de transição.

    Adoção e gravidez

    A gravidez, entretanto, não foi a primeira ideia do casal. O plano inicial era uma adoção, mas Frank pensou ser impossível devido à configuração familiar deles. Chegaram até a entrar na fila para serem pais, mas desistiram. “Ele ficou receoso de a criança querer conhecer os pais biológicos e não ter estrutura emocional para lidar com a situação”, afirmou Taris.

    O casal reforçou que em nenhum momento o medo seria a rejeição pela transexualidade, apontou a reportagem.

    Topbuzz

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário