PROGRAMA DO ROCHINHA

De Segunda a Sexta, das 6h às 7h, na FM MAIOR DE BATURITÉ 93,3. E-mail: programadorochinha@gmail.com - Fone: (85) 3347-1177 WhatsApp: (85) 9 9156-2117

FM MAIOR 93,3

  • Notícias

    segunda-feira, 4 de novembro de 2019

    Alimentos afrodisíacos têm o poder de “apimentar” relações

    Além de ser elemento vital, alguns alimentos têm poder de causar efeitos prazerosos no organismo. A liberação de hormônios, propiciada por determinadas substâncias, é capaz de relaxar e promover sensação de bem-estar. Muitos deles ainda têm a função de estimular a libido e aumentar o desejo sexual.


    Esses alimentos, conhecidos como afrodisíacos, possuem propriedades que estimulam o aumento da dopamina, o neurotransmissor do prazer. Eles têm esse nome em referência à deusa grega do amor e da beleza, Afrodite.

    As ostras, o vinho, o chocolate e a pimenta, por exemplo, são considerados os mais típicos. Mas você sabia que o figo, a banana, a canela e a aveia também causam o efeito 'picante' no organismo? De acordo com a nutróloga Ana Maria de Oliveira, determinados alimentos reagem e "estimulam os neurotransmissores responsáveis pela função sexual e, consequentemente, a libido. Esses neurotransmissores são formados a partir dos ingredientes da nossa alimentação". Certas iguarias têm propriedades vasodilatadoras, conferindo maior resistência e performance.

    No entanto, a médica alerta que o efeito pode ser contrário. "Se você fornece boas proteínas ao organismo, os aminoácidos que produzem os espermatozoides serão formados com maior eficiência, por exemplo. A nossa alimentação interfere na saúde sexual e na libido e pode ser estimulada ou inibida na medida em que a gente consome bons ou maus alimentos", acrescenta.

    AÇÃO

    A nutricionista Bianca Brayner explica que a ação no organismo se dá pela composição nutricional. "Alguns alimentos têm essa função, pois conseguem acelerar o metabolismo e aumentar as taxas de testosterona tanto na mulher quanto no homem".

    "São afrodisíacos justamente por regular todas essas funções por conta das vitaminas que têm, mas a gente não pode associar a responsabilidade a um alimento só. Se você consumir vai ajudar bastante, mas claro que é preciso analisar outros fatores", explana a nutricionista. Essas causas, de acordo com ela, são os níveis hormonais, o nível de sono, a prática de atividades físicas. A deficiência de zinco, ferro e vitamina C, por exemplo, também pode ser a causa de queda da disposição sexual.

    A nutricionista Mikayla Azevedo acrescenta que a falta de libido faz com que homens e mulheres busquem por opções afrodisíacas. "Essa procura deriva principalmente da perda de nutrientes no corpo, mas também ocorre por diferentes razões, como o estresse, o uso de medicamentos orais, disfunções hormonais e algumas doenças como depressão e diabetes".

    INDICAÇÕES

    A famosa pimenta, por exemplo, tão representada como esse ingrediente de poder sedutor, tem a capacidade de acelerar o metabolismo e causar uma maior excitação. Essas características auxiliam inclusive no aumento da disposição para realizar atividades rotineiras.

    Outra alternativa famosa é a maca peruana, conhecida como "viagra dos incas", já que acreditavam ser capaz de aumentar o fluxo de espermatozoides. O tubérculo melhora a circulação sanguínea da região pélvica tanto masculina quanto feminina, e aumenta a libido. A catuaba age de maneira semelhante.

    Bianca cita as ostras como responsáveis por dar mais estímulo, já que "ajudam na produção de testosterona e reduzem a prolactina, hormônio que está ligado à impotência sexual. Elas têm essa propriedade por causa do zinco", diz.

    O chocolate, além de ser agradável ao paladar, produz mais serotonina, o hormônio do bem-estar. "Tem magnésio, o que proporciona uma sensação de relaxamento, e que ajuda muito a criar um clima ideal", acrescenta Bianca. Além disso, é composto de triptofano, aminoácido com função de ser precursor do neurotransmissor da serotonina.

    A nutricionista recomenda ainda a inclusão de sementes de girassol e abóbora, já que são ricas em zinco, composto capaz de melhorar os níveis de testosterona. A aveia é indicada por conter manganês que, em deficiência, pode causar esterilidade e falta de libido. Esse cereal regula a flora intestinal e melhora problemas do trato urinário.

    Mikayla destaca como potencializadores a banana e a tangerina. A primeira é fonte de vitaminas do complexo B e a enzima bromeliade, que colaboram para o aumento da libido masculina. Enquanto a segunda é rica em folato, substância que regula o humor e deixa a pessoa mais animada para ter relação sexual.

    A nutricionista recomenda o consumo de mel, por auxiliar na metabolização do hormônio sexual feminino pela presença do mineral boro. A iguaria é rica em vitaminas do complexo B, essenciais para o bom funcionamento da testosterona.

    O consumo de castanhas é indicado pela nutróloga Ana Maria, pois são ricas em selênio, que é antioxidante, e em aminoácidos, formadores dos neurotransmissores do prazer.

    Outra recomendação da médica são os grãos integrais, ricos em ácido fólico e indicados para as mulheres que desejam engravidar.

    MAIS PRAZER
    - Maca peruana: melhora a circulação sanguínea na zona pélvica ( masculina e feminina). Os incas acreditavam que a maca ainda melhorava o fluxo dos espermatozoides.

    - Ostras: aumenta a produção de testosterona e reduz a de prolactina, hormônio que está ligado à impotência sexual, por causa do zinco presente no alimento.

    - Banana: fonte de nutrientes, como vitaminas do complexo B e a enzima bromeliade, que colaboram para o aumento da libido masculina.

    - Linhaça: é uma semente fonte de fitoestrógenos e ligninas, que ajudam na libido e a equilibrar os níveis hormonais.

    - Aveia: ajuda a aumentar o fluxo sanguíneo na região do clitóris, o que estimula o desejo sexual. O alimento ainda eleva os níveis de testosterona.

    - Tangerina: é fonte rica em uma substância chamada folato, que regula o humor e deixa a pessoa mais animada para ter relação sexual.

    - Chocolate: o chocolate não apenas aumenta a produção de serotonina (o hormônio do bem-estar), como também contém um estimulante chamado alcaloide, que proporciona mais energia e libido.

    - Sementes de abóbora e de girassol: enquanto a de abóbora é fonte de zinco, mineral que aumenta os níveis de testosterona no organismo, a de girassol é rica em óleos que potencializam os hormônios sexuais.

    - Mel: responsável pela metabolização do hormônio sexual feminino por conter um mineral chamado Boro e rico em vitaminas do complexo B essenciais para a testosterona. A expressão “lua de mel” foi criada porque, visando ter uma sensação sexualmente prazerosa após a cerimônia, antigamente os casais seguiam a tradição de tomar doses diárias de mel no mês que antecedia o casamento.

    DN

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário