PROGRAMA DO ROCHINHA

De Segunda a Sexta, das 6h às 7h, na FM MAIOR DE BATURITÉ 93,3. E-mail: programadorochinha@gmail.com - Fone: (85) 3347-1177 WhatsApp: (85) 9 9156-2117

FM MAIOR 93,3

  • Notícias

    quinta-feira, 19 de março de 2020

    Fã da escola gaúcha, Guto Ferreira deve tornar Ceará mais aguerrido

    Menos de três meses de temporada 2020, o Ceará vai para seu 3º treinador no ano com a chegada de Guto Ferreira. Ou seja, será uma terceira filosofia de jogo implementada em pouco tempo, dificultando o crescimento da equipe alvinegra como um time, com um padrão definido até a Série A começar, mesmo com toda a incógnita da temporada, paralisada pela pandemia do novo coronavírus.


    Óbvio que a diretoria alvinegra não queria uma mudança de treinador agora, já que Enderson Moreira tinha 70% de aproveitamento, e a equipe vinha em nítida evolução, vencendo Vitória e Sport, rivais nordestinos.


    A diretoria foi pega de surpresa com a ida de Enderson Moreira para o Cruzeiro, precisando contratar um novo técnico, que vem com um perfil de trabalho um pouco diferente, embora ambos privilegiem o 4-3-3 com suas variações.

    Se Enderson Moreira tinha um perfil mais ofensivo, buscando o gol mesmo com um placar já favorável, com uma equipe mais leve, Guto Ferreira reza na cartilha da escola gaúcha - Tite é seu espelho de ideias - com passagens vitoriosas por Internacional, Bahia e Sport.

    Com Guto, o Vovô precisará ter compactação, marcação agressiva, imposição física, e jogo de transição rápida. No Bahia, era comum transições ofensivas com laterais e pontas. O lateral-direito Samuel Xavier, por sua qualidade, pode contribuir com essa transição, assim como o volante Fabinho. Estes conceitos de marcação, Enderson conseguiu no Ceará e vinha tendo sucesso, embora em menor intensidade pedida por Guto em seus times.

    A diferença dos trabalhos será o apetite pelo gol: se com Enderson, o Ceará era um time que buscava pressionar o adversário até abrir o placar e mantinha o ímpeto após seu gol, com Guto Ferreira, a estratégia ao sair na frente será outra: dar a bola ao adversário e buscar contra-atacar em transição rápida.

    Por isso serão tão importantes os volantes no desarme, como Charles - que trabalhou com Guto no Sport - Fabinho, William Oliveira e Ricardinho, assim como os pontas em velocidade, como Mateus Gonçalves, Leandro Carvalho e Rogério. Outro que já vivia boa fase com Enderson é Vinícius. Ele, que foi treinado por Guto Ferreira no Bahia, deve se tornar o homem de confiança, e continuar na função de Camisa 10, centralizado no meio.

    Outra característica do novo treinador do Ceará é sempre jogar com um centroavante. Nos tempos de Bahia e Sport, nunca preteria de jogadores como Hernane Brocador, no Rubro-Negro, e Gilberto ou Fernandão, no Esquadrão da Boa Terra.

    DN

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário