PROGRAMA DO ROCHINHA

De Segunda a Sexta, das 6h às 7h, na FM MAIOR DE BATURITÉ 93,3. E-mail: programadorochinha@gmail.com - Fone: (85) 3347-1177 WhatsApp: (85) 9 9156-2117

FM MAIOR 93,3

  • Notícias

    quinta-feira, 22 de agosto de 2019

    Golpe via WhatsApp faz 8 milhões de vítimas; saiba como não cair!

    Todos nós podemos ser alvos de vários golpes hoje em dia. Seja aquele das ligações presídio se passando por algum familiar e solicitando uma quantia em dinheiro. Ou até mesmo ter a sua conta no WhatsApp clonada. Embora esse problema sempre existiu, nos últimos anos ele tem aumentando cada vez mais. Só no Brasil, o crime de clonagem da conta no maior aplicativo de conversas do mundo já afetou 8,5 milhões de brasileiros segundo pesquisa realizada pela PSafe.


    A PSafe é uma desenvolvedora de aplicativos e de segurança, o seu último levantamento mostrou que 23 pessoas são vítimas desse golpe todos os dias no país. Entre os principais prejuízos de ter a conta clonada, está o vazamento de conversas privadas. Além do envio de links maliciosos a outros contatos. Sem contar as solicitações de dinheiro aos amigos e familiares da vítima e até chantagem. Entenda melhor como funciona esse golpe e o que fazer para evitar ter a sua conta clonada.

    O crime de clonagem de WhatsApp não é uma novidade, porém o golpe ganhou destaque esse ano devido aos vários relatos de usuários que foram vítimas de cibercriminosos. Só no Brasil, mais de 8,5 milhões de pessoas já tiveram a sua conta no mensageiro clonada.

    Somente no primeiro semestre deste ano, foram registradas mais de 134 mil tentativas de roubo de WhatsApp. Sessões desconhecidas ativas no WhatsApp Web e atividades incomuns da conta podem caracterizar indícios de que a sua conta possa estar sendo clonada.

    "Para clonar uma conta de WhatsApp, o cibercriminoso cadastra indevidamente o número de telefone do usuário em outro dispositivo e, após esse processo, um SMS contendo um código de liberação de acesso é enviado ao celular da vítima. Depois, ela é induzida a fornecer esse código ao hacker. Em seguida, a sua conta de WhatsApp é bloqueada", explica Emilio Simoni, da PSafe especializado em segurança cibernética.

    Ao ter acesso a conta do mensageiro de um usuário, o hacker poderá usar o conteúdo das mensagens para chantagear a vítima em troca de dinheiro. Segundo a pesquisa da PSafe, 26,7% dos entrevistados que tiveram suas contas clonadas, relataram o vazamento de conversas íntimas como o maior prejuízo da clonagem de WhatsApp.

    Outro prejuízo muito comum também, é a aplicação de golpes em amigos e familiares da vítima. Ainda de acordo com os dados recolhidos pela pesquisa, o envio de links com golpes para outros contatos corresponde a 26,6% dos danos, seguido de solicitações de dinheiro (18,2%), perda da conta no mensageiro (18,0%) e chantagem (10,5%).

    É claro que qualquer pessoa com uma conta ativa no aplicativo pode ser vítima de clonagem. No entanto, há algumas medidas preventivas que podem dificultar o acesso de outras pessoas à sua conta.

    A PSafe aconselha que os usuários em hipótese alguma informe o código de liberação do acesso ao WhatsApp a terceiros. Esse código é único e garante a segurança da sua conta. Além disso, também é extremamente importante ativar a verificação em duas etapas, o que reforça a segurança da conta. Sempre que possível evite conectar o seu celular a redes de Wi-Fi desconhecidas.

    E caso seja do seu interesse, instalar um aplicativo para proteger o aplicativo com senha também pode ajudar muito.

    Meio Norte

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário