PROGRAMA DO ROCHINHA

De Segunda a Sexta, das 6h às 7h, na FM MAIOR DE BATURITÉ 93,3. E-mail: programadorochinha@gmail.com - Fone: (85) 3347-1177 WhatsApp: (85) 9 9156-2117

FM MAIOR 93,3

  • Notícias

    31 de mai. de 2020

    Ato contra o STF tem Bolsonaro sem máscara e alusão ao golpe de 1964

    O presidente Jair Bolsonaro sobrevoou de helicóptero a manifestação em defesa de seu governo e contra o Congresso e o Supremo Tribunal Federal neste domingo, 31, em Brasília.
    Bolsonaro transmitiu o ato ao vivo pelas redes sociais. Já em solo, o presidente cumprimentou apoiadores e, ignorando as recomendações das autoridades sanitárias, pelo segundo dia consecutivo, não usou máscara de proteção e provocou aglomeração.

    Os protestos desta vez foram mais direcionados ao Supremo devido a decisões recentes de ministros que contrariam Bolsonaro e seus aliados, como as ações decorrentes do inquérito das fake news, a divulgação da reunião ministerial de 22 de abril e o pedido enviado à Procuradoria-Geral da República para que se manifeste a respeito da possibilidade de apreensão do presidente, solicitada pela oposição.

    Manifestantes vestidos de verde e amarelo, principalmente, carregavam faixas contra o que chamaram de “censura” imposta pelo ministro Alexandre de Moraes, que determinou buscas e apreensões em endereços de blogueiros e empresários bolsonaristas suspeitos de comandar um esquema de disseminação de notícias falsas e ataques a autoridades e instituições democráticas.

    Alguns manifestantes carregavam faixas que remetiam às manifestações de 1964 que pediam o golpe militar, a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, realizadas entre março e junho daquele ano. As marchas representaram, naquela altura, apoio de uma parte da sociedade civil à intervenção militar que, segundo os oficiais, evitou a instauração de um regime comunista no país. Os apoiadores do presidente também fizeram uma carreata pelo Eixo Monumental, entoando gritos de “ooo eu sou conversador, eu sou conversador”.

    O ato contra o Congresso e o Supremo entrou para a agenda política de Brasília aos domingos. O presidente tem acompanhado os atos, apesar da recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) para se evitar aglomeração. A segurança policial foi reforçada próximo ao gramado do Congresso com cerca de dez viaturas policiais. Vários dos manifestantes, inclusive idosos, considerados mais propensos à covid-19, não usavam máscaras. Bolsonaro já havia dispensado o uso da proteção em viagem a Goiás nesse sábado. Ontem o Brasil se tornou o quarto país em número de mortes por covid-19, somando quase 29 mil óbitos.

    Repórter Ceará 

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário