PROGRAMA DO ROCHINHA

De Segunda a Sexta, das 6h às 7h, na FM MAIOR DE BATURITÉ 93,3. E-mail: programadorochinha@gmail.com - Fone: (85) 3347-1177 WhatsApp: (85) 9 9156-2117

FM MAIOR 93,3

  • Notícias

    16 de mai. de 2020

    Ceará tem quase 90% dos leitos de UTIs ocupados

    O número crescente de infectados pelo novo coronavírus no Ceará está se refletindo também na taxa de ocupação dos leitos de Unidades de Terapias Intensivas (UTIs) do Estado.
    De acordo a plataforma IntegraSUS, até às 14:03 deste sábado (16), o número já chegava a 89,57%, quase 90% da capacidade total, portanto. 

    Em Fortaleza, pelo menos 17 hospitais, entre públicos e privados, já chegaram a 100% da ocupação, incluindo a unidade de campanha Leonardo da Vinci. A mesma situação pode ser observada no Hospital Regional do Sertão Central, em Quixeramobim. Até o presente momento, já são 27 unidades de saúde do Ceará com taxa acima de 80%. 

    No caso de Sobral, a terceira cidade do Ceará com maior número de infectados, ficando atrás apenas de Fortaleza e Caucaia, a taxa de ocupação do Hospital Regional Norte é de 86,11%. Já no Hospital Regional do Cariri, é de 82,5%.

    Em coletiva na última sexta-feira, o Secretário da Saúde do Ceará, Dr. Cabeto reconheceu a expansão dos casos para o interior, especialmente região metropolitana. Em resposta a isso, Caucaia e Maracanaú, por exemplo, receberão hospitais de campanha, anunciados pelo governador Camilo Santana, na quarta-feira (13).

    “Os esforços do Estado estão para além das restrições em Fortaleza. Estamos trabalhando na organização do sistema de saúde do interior. Já vínhamos desde 2019 organizando o Ceará em cinco regiões e melhorando a resolutividade. Tivemos que fazer coisas mais rápidas, como a implantação de UTIs em Maracanaú, Caucaia, Tauá, Crateús, Tianguá, Iguatu, Icó. Todos esses municípios que não dispunham vão passar a ter novas UTIs permanentes”, destacou Dr. Cabeto.

    O sistema vai funcionar tendo os hospitais regionais como centros de encaminhamento para casos mais complexos, de acordo com o Secretário da Saúde do Estado. Nesse cenário, os hospitais polos atenderão casos de menor complexidade, dispondo de algumas UTIs; e as unidades menores farão o tratamento mais precoce da população cearense.

    DN

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário