PROGRAMA DO ROCHINHA

De Segunda a Sexta, das 6h às 7h, na FM MAIOR DE BATURITÉ 93,3. E-mail: programadorochinha@gmail.com - Fone: (85) 3347-1177 WhatsApp: (85) 9 9156-2117

  • Notícias

    02 maio 2020

    Com 85 novos registros, Ceará chega a 590 mortes por Covid-19

    O Ceará confirmou mais 85 mortes pelo novo coronavírus entre a manhã dessa sexta-feira (1º) e deste sábado, chegando ao total de 590 óbitos.
    São 51 novos registros de mortes entre as 17h33 de ontem e a manhã de hoje e esse acréscimo é o maior para um único dia  - supera até mesmo o número registrado em 26 de abril, quando foram contabilizadas 50 novas mortes no dia.

    O total de casos confirmados da doença também avançou, passando de 8.000 para 8.076 pessoas infectadas, aponta a plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde (Sesa), atualizada na manhã deste sábado (2).

    A taxa de letalidade também cresceu de um boletim para outro, passando de 6,7% para 7,3%. 

    Os números apresentados pela Sesa - e atualizados três vezes ao dia - fazem referência à confirmação no dia por meio de testes, podendo não corresponder necessariamente à data exata da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

    Em comparação com o boletim epidemiológico divulgado pela Sesa às 17h33 desta sexta-feira, que cravava 8.000 diagnósticos positivos para a Covid-19, houve um acréscimo de 76 novos casos.

    Ainda nessa sexta, feriado do Dia do Trabalhador, o estado ultrapassou o patamar dos 500 óbitos. Na quarta-feira (29), passou a marca dos 7 mil casos da doença, registrando, até as 16h de terça-feira (28), diagnósticos positivos em 65 bebês de até um ano de idade. 

    Fortaleza é a cidade cearense a concentrar mais registros de Covid-19, com 453 óbitos e 6.151 casos confirmados neste sábado. Caucaia e Maracanaú, na Região Metropolitana, vêm em seguida com 304 e 162 casos, respectivamente. 

    Dados da Covid-19 no Ceará: 

    8.076 casos confirmados;
    24.373 casos em investigação;
    590 óbitos;
    Taxa de letalidade de 7.3%

    DN

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário