PROGRAMA DO ROCHINHA

De Segunda a Sexta, das 6h às 7h, na FM MAIOR DE BATURITÉ 93,3. E-mail: programadorochinha@gmail.com - Fone: (85) 3347-1177 WhatsApp: (85) 9 9156-2117

FM MAIOR 93,3

  • Notícias

    7 de mai. de 2020

    Hospitais particulares do Ceará atuam com capacidade de UTI entre 98% e 100%

    Os hospitais da rede particular de Fortaleza operam com capacidade dos leitos de UTI variando entre 98% e 100%, de acordo com o presidente da Associação dos Hospitais do Estado do Ceará, Aramicy Pinto. 

    A associação informou nesta quinta-feira (7) que um dos métodos usados pelos hospitais privados para administrar a demanda é suspender por algumas horas o atendimento no pronto-socorro. 

    “A paralisação (no atendimento) não é nada proposital. O que ocorre é que como nós estamos variando uma lotação entre 98% e 100%. Nós estamos suspendendo, às vezes por 4 horas ou 6 horas, porque isso é muito dinâmico. Vai acontecendo as altas e nós vamos colocando os pacientes que vão chegando", afirmou Aramicy.

    HOSPITAIS EM FORTALEZA

    Na noite dessa quarta-feira (6), no hospital Uniclinic, na Avenida Aguanambi, houve uma suspensão temporária dos serviços de pronto atendimento em virtude do grande volume de pacientes que procuraram atendimento na unidade. 

    O hospital São Mateus, no Bairro Papicu, relatou à Promotoria de Justiça e Defesa da Saúde Pública nessa quarta (6), que estava atuando com 100% da capacidade, com ocupação integral dos leitos clínicos e de UTI. 

    Os hospitais conveniados à Unimed atendem normalmente os pacientes nos prontos-socorros nesta quinta-feira (7). A sede em Fortaleza informou ao Diário do Nordeste que a unidade possui 150 leitos de enfermaria e apartamentos e outros 91 leitos de UTI para o tratamento de pacientes com Covid-19, mas não especificou quantos estão ocupados. 

    O hospital São Camilo, no Centro de Fortaleza, afirmou nesta quinta (7) que está remarcando cirurgias não emergenciais para evitar que a unidade chegue a sua capacidade máxima. O procedimento acontece após uma avaliação médica do paciente. 

    DN

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário