PROGRAMA DO ROCHINHA

De Segunda a Sexta, das 6h às 7h, na FM MAIOR DE BATURITÉ 93,3. E-mail: programadorochinha@gmail.com - Fone: (85) 3347-1177 WhatsApp: (85) 9 9156-2117

FM MAIOR 93,3

  • Notícias

    24 de mai. de 2020

    Lockdown reduz velocidade da transmissão do coronavírus em Fortaleza

    Estudos apontavam que o pico do novo Coronavírus no Ceará seria nas últimas semanas de abril, o que não aconteceu por conta do engajamento da população, aponta estudo do Instituto Ampla Pesquisa.

    “Havíamos feito uma análise que nós entraríamos no pico real da doença entre 24 a 29 de maio, então estamos praticamente nos encaminhando para o famoso pico real. Deixando claro que esse pico deveria ter acontecido no fim de abril”, comenta Agliberto Ribeiro, diretor executivo da Ampla, que explica que a mudança se deve ao desrespeito às normas de isolamento social do Estado.

    Com o avanço acelerado do número de casos, o Governo do Ceará decidiu adotar medidas mais rígidas em relação ao isolamento, sobretudo na capital, epicentro da pandemia. Para isso, contou com a parceria da Prefeitura de Fortaleza. “O mais importante é manter a consciência, a disciplina e a nossa responsabilidade em continuar lutando para enfrentar o Covid-19. A nossa melhor luta, nossa maior ação generosa e solidária é a gente executar o isolamento social”, diz o prefeito Roberto Cláudio.

    De acordo com o Instituto Ampla, a pandemia está caminhando para desaceleração, o que deve acontecer até o começo de junho. A partir do método epidemiológico SIR, que prevê a disseminação de uma doença contagiosa e a interação entre os envolvidos, é possível constatar isso. Hoje, o número de infectados é superior a 31 mil. Para a desaceleração prevista ser concretizada, é necessário que a taxa de diagnósticos positivos aumente em ritmo menor que a de recuperados, atualmente estimada em 62%. Quanto mais a porcentagem se aproximar de 100%, mais chances do controle da pandemia. No ritmo que o Ceará está, o quadro deve ser revertido nas próximas semanas, desde que a população faça sua parte.

    Para avaliar a eficácia das medidas do Lockdown em Fortaleza, é preciso saber olhar a porcentagem de infectados a cada dia, não os números absolutos. Em 30 de abril, foram confirmados 13.153 casos, no dia 7 de maio, 16.406 registros, um aumento de 25% em uma semana. Mas sete dias depois, em 14 de maio, eram 18.084 casos, crescimento de apenas 10%. Uma semana depois, com o decreto de isolamento rígido, o crescimento foi de apenas 4%, passando de 18.084 para 18.685.

    JDM

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário