PROGRAMA DO ROCHINHA

De Segunda a Sexta, das 6h às 7h, na FM MAIOR DE BATURITÉ 93,3. E-mail: programadorochinha@gmail.com - Fone: (85) 3347-1177 WhatsApp: (85) 9 9156-2117

FM MAIOR 93,3

  • Notícias

    4 de mai. de 2020

    Presidente da Aprece defende lockdown em Fortaleza para evitar surto no Interior

    Presidente da Associação dos Municípios do Ceará (Aprece) e prefeito de Cedro, Nilson Diniz, defende a adoção do lockdown em Fortaleza e Região Metropolitana para evitar que a pandemia do novo coronavírus se espalhe drasticamente pelo Interior.
    O sistema restringe ao máximo o fluxo de pessoas.

    “Diante desse quadro de agravamento, o Governo deveria fazer lockdown em Fortaleza”, avalia. Segundo ele, “ainda há um trânsito grande” de pessoas se deslocando da Capital para outros municípios, movimento que tem feito a doença se espalhar mais rapidamente do que o previsto pelas autoridades. Ontem, Cedro registrou o primeiro caso de Covid-19.

    Até agora, o Estado contabiliza mais de oito mil contaminados, com 677 mortos. Fortaleza concentra mais de 90% dos casos e dos óbitos no Ceará. A capital cearense tem a maior incidência de Covid-19 por milhão de habitantes no País.

    “São quatro aspectos que justificam o lockdown (em Fortaleza): temos número crescente de casos, número de óbitos na mesma proporção, a estrutura hospitalar está estrangulada e a doença poderia se espalhar pelo Interior”, elenca o gestor.

    Para ele, as próximas semanas serão muito importantes. “Poderia ser tomada essa decisão logo (sobre o lockdown)”, acrescenta. Nas demais regiões do Ceará, o isolamento social continuaria a valer como medida de combate à crise sanitária.

    “Acho que o isolamento no Interior seria mais correto, mas em Fortaleza temos de pensar nisso, já que outras cidades estão fazendo. E temos de pensar em como fazer”, ressalva o dirigente da Aprece, que integra comissão que discute o quadro de enfrentamento à pandemia, formada por representantes do Governo e de entidades da sociedade civil.

    No último sábado, em coletiva no Palácio da Abolição, o governador Camilo Santana (PT) anunciou a renovação do decreto de quarentena por mais 15 dias, agora com medidas mais drásticas. O chefe do Executivo admitiu que o lockdown está sob estudo e pode ser empregado.

    A alternativa, que foi determinada em parte do Maranhão, restringe ao máximo o fluxo de veículos e de pessoas, estabelece protocolos mais rígidos de acesso a supermercados e farmácias, por exemplo, além de fixar barreiras nas divisas intermunicipais, de modo a impedir fluxo e maior risco de contágio.

    Ao lado do prefeito Roberto Cláudio (PDT), Camilo reconheceu ainda a dificuldade de garantir a adesão ao distanciamento social no Ceará e alertou que a rede de leitos de UTI estadual e municipal está perto da exaustão, apesar dos esforços de Governo e Prefeitura, como a aquisição de mais 100 leitos especiais na próxima semana.

    O governador também descartou totalmente a possibilidade de flexibilizar as ações contra o coronavírus em Fortaleza neste momento de explosão da doença, como tem defendido um segmento do setor produtivo que participa do grupo de trabalho. Camilo passou o fim de semana reunido com secretários para discutir saídas e elaborar mudanças no novo decreto, que deve ser publicado hoje, impondo mais restrições na tentativa de conter o avanço da pandemia.

    O Povo

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário